Presidente Jair Bolsonaro e Paulo Guedes, confirmam valor de R$400 para o Auxílio Brasil.




O anúncio de que o programa Auxílio Brasil começa ser pago em novembro, o Presidente Jair Bolsonaro afirmou em pronunciamento realizado nesta sexta-feira (22), juntamente com o ministro da Economia, Paulo Guedes, que os gastos com o auxílio para os mais vulneráveis não comprometem o equilíbrio fiscal. A previsão é que as famílias em situação de pobreza e extrema pobreza não recebam menos de R$ 400.

“O Brasil é um dos países que, na economia, é um dos que menos está sofrendo. Inclusive, prevê-se a possibilidade de crescermos 5% no correr de ano. Agora, contudo, tem uma massa de pessoas que são os mais necessitados, hoje em dia em torno de 16 milhões de pessoas que estão no Bolsa família, cujo tíquete médio está na casa de 192 reais e a gente vê esse valor como, realmente, insuficiente para o mínimo”, disse o Presidente Jair Bolsonaro.

“Assim sendo, com responsabilidade, vínhamos estudando há meses essa questão, onde chegou-se a um valor, deixo claro a todos, esse valor decidido por nós tem responsabilidade. Não faremos nenhuma aventura. Não queremos colocar em risco nada no tocante a economia”, afirmou o Presidente Jair Bolsonaro.

O Governo ainda pretende ampliar o número de beneficiários das atuais 14,7 milhões de famílias que recebem o Bolsa Família, para 16,9 milhões.

O Presidente ainda reafirmou a intenção de pagar R$ 400 mensais aos caminhoneiros autônomos para reduzir o impacto causado pela alta dos combustíveis.

“Sabemos que estamos na iminência de mais um reajuste do combustível e, quando vai pro diesel, nós sabemos que influencia diretamente a inflação. E o caminhoneiro que transporta carga no Brasil merece ter uma atenção da nossa parte. Foi decidido, então, um auxílio aos mesmos que ficará menos de R$ 4 bilhões por ano, também previsto no orçamento”, destacou o Presidente Jair Bolsonaro.

Ainda na declaração à imprensa, o Presidente Jair Bolsonaro disse que tem absoluta confiança no ministro da Economia, Paulo Guedes. “Eu tenho confiança absoluta nele e ele também entende as aflições que o governo passa. Ele assumiu em 2019, fez um brilhante trabalho naquele ano, nossa economia estava indo muito bem quando começou 2020”, afirmou.

O ministro Paulo Guedes também afirmou que o pagamento de R$ 400 no Auxílio Brasil não afeta os fundamentos fiscais. “Do ponto de vista fiscal, não altera os fundamentos fiscais da economia brasileira, não abala os fundamentos fiscais. Os fundamentos são sólidos”, disse. “Todo mundo está dizendo que o povo está tendo dificuldades para comer, para comprar gás de cozinha, nós vamos ajudar essas 17 milhões de famílias e reduzir o ritmo do ajuste fiscal”, completou.

Segundo ele, o governo busca conciliar o lado econômico com o social para atender os mais vulneráveis. “É plenamente absorvível nas contas. As finanças seguem inabaladas”, avaliou.

1 Comentários

  1. PENSIONISTAS de militares falecidos, octagenárias, com cardiopatia grave,pagando previdência social,sem condições de pagar remédios à míngua pela lei 13954/19. Bilhões desviados do orçamento para auxílios emergenciais.Idosos doentes pagando essa conta. 🤔

    ResponderExcluir
Postar um comentário
Postagem Anterior Próxima Postagem