Senador Girão lê seu relatório, 'detona' Renan no seu Relatório 'paralelo' e chama Aziz de 'omisso'.



O senador Eduardo Girão (PODEMOS-CE), hoje (26), pediu coerência ao Relatório do senador Renan Calheiros (MDB-AL),"Já que o senhor resolver incluir o governador do Amazonas, porque não incluir os governadores do Pará, Santa Catarina, DF e todos aqueles que participam do Consórcio do Nordeste, pois já temos inúmeras provas dos delitos por eles cometidos."

O senador Eduardo Girão chamou o presidente da CPI da Pandemia Omar Aziz (PSD-AM) de 'omisso'

Aziz respondeu: "Senador, essa CPI nunca se acovardou."

Eduardo Girão: "Presidente, se não foi covardia, foi, no mínimo uma omissão criminosa. Entrei com mais de 100 requerimentos para investigar corrupção e eles nem sequer foram votados."


O Girão também criticou o relatório paralelo do relator Renan Calheiros (MDB-AL), "A CPI elegeu o relator com real conflito e interesses, pois elegeu um senador cujo filho está envolvido em denúncias de desvio de verbas para a Covid. O relator jamais se declarou impedido, apesar de vários pedidos." diz o senador Girão


O senador Eduardo Girão que sempre disse que iria prepara o seu relatório independente, leu hoje (26), na CPI da Pandemia. "Usou o ditado de que o fim justifica os meios, mas se esqueceu que pau que bate em Chico também bate em Francisco. Os médicos sofreram o mais cruel ataque à sua autonomia por causa do uso político do tratamento precoce com claros fins eleitorais."


As pergunta do relatório do Senador Girão em que a CPI da Pandemia ignorou, "Como ignorar o desvio do Consórcio do Nordeste? Como ignorar a compra de respiradores de uma empresa envolvida com a produção de maconha? Como ignorar as provas de que o dinheiro da Covid foi parar em casas de massagens?"



Também criticou a mesa diretora  da CPI de criminosa "A população quer justiça sim, mas não justiceiros. Peço que a PGR continue as investigações, em particular, do crime de prevaricação cometido pela mesa diretora da CPI, por se negar a votar requerimentos p/ investigar corrupção."


Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem